15/06/2012

As Crianças Verdes


Duas notáveis crianças foram descobertas na vila de Woolpit, em Suffolk, no Reino Unido. O incidente se deu durante o regime do rei Stephen da Inglaterra (1135-1154), numa época muito difícil. Os camponeses estavam trabalhando quando as duas crianças, um garoto e uma garota, repentinamente emergiram de um fosso profundo. As pessoas ficaram de olhos arregalados diante do fato.


Eles estavam vestidos com roupas de material nada familiar e suas peles eram verdes. Era impossível falar com eles porque tinham um dialeto desconhecido. Os dois foram levados para o dono do feudo, Sir Richard de Caline. Obviamente, eles estavam tristes e choraram por vários dias. Os pequenos esverdeados se recusaram a comer e a beber qualquer coisa até que alguém ofereceu feijão ainda no talo para eles. Eles sobreviveram comendo feijão por vários meses. Mais tarde eles começaram a comer pão. O tempo passou, e o pequeno esverdeado garoto entrou em depressão, e algum tempo depois, adoeceu e morreu.

Com o passar do tempo a garota foi conseguindo adaptar-se a sua nova situação. Ela aprendeu a falar inglês e gradualmente sua pele foi perdendo a cor verde. Mais tarde se tornou uma saudável jovem e se casou.
Ela era sempre perguntada sobre seu passado e de onde tinha vindo, mas tudo que falava só fazia aumentar o mistério sobre suas origens. Explicava que seu irmão e ela tinham vindo de “uma terra sem sol”, com um perpétuo crepúsculo. Todos os habitantes eram verdes. Ela não tinha certeza exata onde se localizava sua terra. Ainda, ela chamava de “Luminous” a outra terra, que era cruzada por um “rio considerável” separando o mundo deles.


Também não se sabe ao certo como as crianças teriam aparecido naquele fosso. A garotinha disse que ela e seu irmão estavam procurando o rebanho do pai e seguiram por caverna escutando o som dos sinos. Vagaram na escuridão por um longo tempo até que acharam uma saída; de repente, eles ficaram cegos por um clarão de luz.
A luz do sol e a temperatura diferente deixaram-nos cansados; descansavam quando ouviram vozes, viram pessoas estranhas e tentaram fugir. Entretanto, não tiveram tempo de se mover da boca do fosso onde foram descobertos.


Muitas explicações têm aparecido desde então para tentar explicar o enigma das crianças verdes. As teorias vão desde que essas crianças seriam extraterrestres e teriam sido enviadas ao nosso planeta para viver entre nós, e até mesmo que eles vieram de uma espécie de reino subterrâneo e teriam acidentalmente encontrado uma passagem para nosso mundo.
O fato é que a verdadeira origem das crianças verdes nunca foi descoberta e este caso continua sendo um mistério.

3 comentários:

  1. O humor britânico é diferente, às vezes bizarro; penso que é uma história da dona Carochinha, tão conhecida nossa, interessante como folclore. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  2. Interessante não só esse post, mas
    todo o conteúdo do blog, gostei!

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Antes de tudo, parabenizo a autora deste blogue pelo interessante conteúdo que este tem e desejo a continuação de um trabalho. ;)
    Cá para mim, estas Crianças Verdes eram filhas de imigrantes flamengos mortos em perseguições xenófobas (coisas comum a esse tipo de imigrentes na Inglaterra) - daí o estranho dialecto delas e as suas roupas - e vaguearam durante um bom tempo pelos bosques, onde adquiriram a cor verde devido à má nutrição e o crescimento de seres vivos (principalmente fungos e plantas microscópicas) devido à sujeira e pela falat de luz causada pela copa densa das árvores. :\

    ResponderExcluir

© Dállia Negra - 2016 | Template feito por: Adorável Design | Imagens de ícones e imagem do cabeçalho por: Jaque Design