20/08/2017

Esquecido


Sou esquecido
Reconheço minha parcela de culpa
Quem não se adapta a esse tempo,
É esquecido e não pode reclamar

Recuso-me a curvar os joelhos
A aceitar imposições
Determinações
Verdades absolutas

Eu me recuso!
Portanto, pago um alto preço
O esquecimento me é relegado
Sou esquecido

Nasci em uma época a qual não pertenço
O relativismo moral não me seduz
Os modernismos não me encantam
Tenho qualidades que não são vistas

Talvez um dia eu seja notado
Talvez um dia seja visto
Mas queria que notassem a mim!
Não a uma suposta posição social

Queria que vissem o interior
A minha alma
Acho que peço demais
A posição social sempre estará à frente

Não vou mudar
Continuarei a ser quem eu sou
Até lá pago o preço...
Permaneço no limbo

Esquecido

*Aermo Wolf
Leia Mais

14/08/2017

Dicas para Preparar Poções


As Fases da Lua


Outro detalhe a ser analisado na hora do preparo das poções é a fase da Lua, pois segundo a astrologia cada fase influi de maneira diferente na magia. Veja a seguir qual fase é melhor para o preparo da sua poção:

LUA NOVA: Período propício para magias que envolvam estudos, pesquisas, atividades em grupo, concentração, meditação, auto-conhecimento, novas idéias, crescimento, expansão, emprego, etc.

LUA CRESCENTE: Magias que favoreçam desenvolvimento, crescimento, prosperidade, expansão, adiantamentos, começos, etc.

LUA CHEIA: Ótima para lançar magias de amor, de fertilidade e obtenção de luz. A Lua Cheia é uma fase especial em que todo tipo de magia tem seu efeito potencializado.

LUA MINGUANTE: Bom período para acabar relacionamentos e situações. Momento de dissipar energias; desintegração, reflexão, exorcismos, etc. Durante a Lua Nova não é aconselhável realizar nenhum tipo de magia relacionado a construção, amor, dinheiro, etc.

O Horário 


Ao preparar qualquer poção mágica, baseie-se na Tabela de horários planetários, que pode ser facilmente encontrada. Quando você precisar preparar uma poção urgentemente e não puder fazer isso em um momento astrológico favorável, então procure falar sempre esta frase antes do preparo:

“Que todas as correspondências astrológicas estejam corretas para este trabalho mágico.”

Use a tabela de horários e dias mágicos de acordo com a intenção da poção que você for fazer.

Ex: Poções para o amor no horário de Vênus ou da Lua; poções para coragem no horário de Marte, etc.

O significado de cada horário
Cada astro influencia de maneira diferente na magia das poções, por isso é importante conhecer as áreas em que cada planeta interfere. Veja:

SOL: Influencia em magias ligadas ao brilho pessoal, fama, fortuna, prosperidade, luz e banimento das trevas, etc.

LUA: Influencia tudo o que diz respeito a magia, mistério, ocultismo, viagens ,ondinas , sonhos, mudanças, vidência, sentimentos, etc.

MARTE: Influência sobre assuntos ligados a lutas (judiciais, contra uma doença ,contra uma entidade…), batalhas, conquistas, coragem , iniciativas, ousadia, ânimo, etc.

MERCÚRIO: Influi em magias que beneficiem a mente, que envolvam intelectualidade, estudos, projetos, dinamismo, criatividade, coisas escritas, etc.

JÚPITER: Influi sobre assuntos financeiros, negócios, prosperidade, abundância, crescimento, dinheiro, fertilidade, etc.

VÊNUS: Possui forte influência sobre assuntos amorosos, uniões, casamentos, afeição, carinho, sensualidade, sexualidade, procriação, fertilidade, etc.

SATURNO: Interfere em coisas que tenham natureza durável, coisas fixas, casas, terrenos, etc. Saturno também é conhecido por influir fortemente em magia negra, sexo carnal, etc.

Os Instrumentos



Para o preparo de poções mágicas os bruxos costumam montar seu próprio “Laboratório de alquimia”, que pode ser bem simples, mas facilita bastante a vida de quem faz poções. Veja alguns instrumentos que podem “fazer a diferença” na hora do preparo!

-O CALDEIRÃO: Esse é indispensável, deve ser de barro, ferro, vidro, ágata ou cerâmica. Caldeirões de alumínio não são usados em magia, mas alguns bruxos utilizam ele com bons resultados depois de “consagrados e encantados”.

-O RALADOR: Um “bichinho” que facilita pra caramba na hora de pinicar rizomas e bulbos como o gengibre e outras ervas que precisam passar por tal processo.


-O PILÃO: O pilão é um instrumento com um buraco e com um pau onde você pode meter várias coisas. Pare de rir! No pilão, você pode macerar com mais facilidade ervas e pode preparar ungentos e pós com muito mais comodidade! Bendita bruxaria moderna!

-A COLHER DE PAU: Como a colher de alumínio (a mais comum) é acusada de interferir na magia da poção, então a solução é ter uma colher de pau, que é neutra! Ah! Nem pense em consagrar colher de alumínio para usá-la! Deixe de ser pobre e compre uma colher de pau que é baratinha!

-PENEIRA: É ótima para coar as poções, tem quem prefira os filtros de papel para este mesmo fim.

-FILTROS DE PAPEL: Tem a mesma função de uma peneira convencional, mas filtra muito melhor e é muito mais prática

Como Mexer a Poção


Como se Mexe a Poção?
A forma como a poção é mexida pode influir em seus efeitos!

Quando mexer no sentido horário?
Poções para construção, aquisição, crescimento, benefícios, banimentos pela energia benéfica, etc.

Quando mexer no sentido Anti-horário?
Poções para términos, destruição, poções de vingança, magia negra, banimentos pela força, etc…
Leia Mais

30/07/2017

Ishtar - Deusa Babilônica da Lua


A Deusa da Lua cujo culto foi mais disseminado na Antiguidade foi Isthar da Babilônia. Ishtar é a deusa dos acádios (pessoas que residiam na região da baixa Mesopotâmia), herança dos seus antecessores sumérios (civilização muitas vezes considerada como a mais antiga já conhecida, tendo seu início a 4 milênios a.C), cognata da deusa Isis dos egipcios, Inanna dos sumérios e da Astarte dos Gregos, ainda Easter na mitologia nórdica, além de outros nomes.

Ela é a antiga divindade que representava a fertilidade, suas histórias são derivadas das histórias de Inanna da Suméria, mas seu culto floresceu na Babilônia dos Assírios, quando Ishtar era a principal divindade, e se expandiu por quase toda a Ásia. Ishtar era importante como uma Deusa mãe, Deusa da terra, Deusa do amor e da guerra. Nas antigas religiões do oriente médio, e posteriormente na Grécia, Roma, e no oeste da Ásia, Ishtar é a deusa mãe, o grande símbolo da fertilidade da terra. Ela é adorada sob vários nomes como vimos anteriormente.

Isthar é a personificação da força da natureza que tanto dá quanto tira a vida. É a Deusa da fertilidade que doa o poder de reprodução e crescimento aos campos e para todos os animais, inclusive para nós seres humanos. Tornou-se Deusa do amor sexual (por ser uma Deusa da fertilidade), protetora das prostitutas e do parto. Ela é a própria lua, rainha das estrelas e do céu. Como a figura de Mãe terrível, deusa das tempestades e da guerra, era também a provedora de sonhos e presságios, da revelação e compreensão das coisas que estão escondidas, além de Deusa da magia.

Isthar governa os ciclos da lua, meses do ano e ainda a fertilidade da terra, sendo assim tudo o que nasce é considerado como sua cria. Seu filho Tamuz era considerado a vegetação de toda a terra. O mito diz que ao crescer e obter virilidade ele se torna seu amante, entretanto, ano após ano, ela o condena à morte. Na época do Solstício de Verão, ele morre e vai para o submundo. Para logo depois simbolicamente ressurgir para mais um ciclo de morte e renascimento, salvo pela descida dela ao submundo restaurarando a vida de Tammuz. O mito da descida ao submundo representa a época do ano quando os suprimentos de comida estão em seu ponto mais crítico, no final do inverno. A sua morte representa o término da comida que havia sido guardada, e a sua ressurreição representa a nova colheita.

A fertilidade dos campos, e o mistério que envolve as colheitas anuais, se reflete no ritual, onde a fertilidade feminina é adorada. A fertilidade é um mistério, e então as mulheres passam a representar o papel de portadoras deste mistério. Uma das conseqüências destas adoração da fertilidade como mistério é a adoção de rituais ligados ao sexo. Heródoto descreve, sobre as práticas da prostituição sagrada na antiga Babilônia, a fertilidade é um mistério e ao mesmo tempo uma obrigação "O costume babilônico mais sujo é o que compele toda mulher da terra, ao menos uma vez na sua vida, se sentar no templo de Mylitta e ter relações com algum estranho." (Mylitta era o nome Assírio para Afrodite). Mas a intenção desses ritos não era "suja" e sim religiosa, não só escravas eram compelidas a deitar-se com homens desconhecidos mas também as filhas dos mais nobres, e quando recebiam dinheiro este era considerado sagrado e nehuma mulher o recusava, não era um suborno e sim uma troca sagrada em nome da Deusa.

As mulheres eram o intermédio entre a divindade e a humanidade, e era costume que moças servissem de prostitutas sagradas por longos periodos e depois fossem dadas ao casamento e ao contrário do que se pensa ninguém as desdenhava.

Por dois dias, ao final do mês de maio, os romanos celebravam a Festa da Rainha do Submundo, uma celebração em honra as deusas do submundo Hécate, Cibele e Ishtar. Durante as noites de lua cheia, alegres celebrações aconteciam em seus templos. Nestes ritos as mulheres eram sacerdotisas e em seus templos recebiam amantes para expressar a sexualidade como um dom sagrado de Ishtar. Estes ritos permitiam aos humanos que comungassem com a deusa.

Apesar de Isthar ser conhecida no Oriente Médio como a deusa do amor, ela era conhecida também por sua ferocidade nas batalhas e na proteção de seus seguidores. Quando neste aspecto, Isthar conduzia uma carruagem puxada por sete leões, ou sentava-se num trono ornado com leões, portando um cetro de serpente duplo e ladeada por dragões.


RITUAL DE BANIMENTO E LIBERTAÇÃO

Este ritual deve ser realizado durante a Lua Nova ou Minguante. Pode ser efetuado para uma pessoa ou problema específico que esteja lhe atrapalhando.

Serão necessários um incenso de banimento, um pequeno pedaço de papel, lápis, óleo de patchuli ou cânfora, uma adaga, faca ou espada, um vasilha com pequenas quantidades de louro e olíbano em pó e um caldeirão metálico ou outro recipiente que aguente o fogo.

Acenda o incenso. Escreva o nome do problema ou da pessoa no papel e deposite-o no altar, erga a espada ou adaga à sua frente, apoiando a ponta no caldeirão e diga:


"Ouça-me, ó poderosa Isthar.
Este é um período de libertação, de livrar-se de algo.
Eu corto todos os laços com (nome da pessoa ou problema).
Envie seus grandes poderes para que isso (ele/ela) saia da minha vida."


Permaneça segurando a espada à sua frente enquanto mentalmente visualiza a pessoa ou o problema afastando-se rapidamente da ponta da espada. Veja-o despencando dentro do caldeirão até desaparecer. Tente vê-lo desaparecer por completo. Não especifique o modo como deseja que isso ocorra, deseje apenas que o problema não mais lhe cause transtornos.
Apanhe o papel e espete-o na ponta da lâmina, dizendo:


"Todos os laços estão cortados.
Nada mais nos une.
Você está sendo carregado pelos ventos da Senhora das Batalhas."

Remova o papel da lâmina. Ponha uma gota de óleo de patchuli ou cânfora nos quatro cantos e no centro. Queime dentro do caldeirão e diga:


"Rainha dos Céus, Deusa da Lua,
Lance seus poderosos raios sobre meus inimigos.
Que eles se curvem em derrota.
Defenda-me, Senhora das Batalhas e da Vitória!"

Polvilhe um pouco de ervas picadas sobre o papel enquanto este queima; se este já estiver consumido, faça um pequeno montinho de ervas e acenda-o. Diga:

"A renovação vem do caldeirão do Submundo.
Assim como Isthar ascendeu vitoriosa de sua jornada,
Eu me renovo através de seu amor e sabedoria."

Livre-se do papel e das ervas queimados usando a descarga de seu banheiro, uma simbologia adequada para livrar-se de problemas.

http://fadabruxa.blogspot.com.br
Leia Mais

© Dállia Negra - 2016 | Template feito por: Adorável Design | Imagens de ícones e imagem do cabeçalho por: Jaque Design